O Senhor dos Anéis

Você sabia que algumas cópias dos livros de “O Senhor dos Anéis” foram usadas no processo de criação do roteiro dos filmes?! Stephen Sinclair, sócio de Phillipa Boyens (roteirista da adaptação para o cinema), foi definido para ser um dos roteiristas quando se pensava em fazer apenas dois filmes porém Sinclair saiu do projeto devido a projetos teatrais.

Senhor dos aneis
Ter uma cena de batalha antes do início dos créditos em “A Sociedade do Anel“, foi baseada nos filmes de James Bond 007 onde a ação é o primeiro acontecimento do filme, prendendo assim seu público desde o início.

Sam:
Jardineiro profissional, e braço direito de Frodo, só é visto com a mão no “batente” nas cenas da Edição Extendida de “O Senhor dos Anéis” na abertura “Concerning Hobbits”.

No primeiro filme não há absolutamente nenhum CG na cena em que Gandalf e Frodo se encontraram e se abraçam na floresta, apenas dublês altos e pequenos se intercalando…

Gandalf:
O nome original de Gandalf é “Olórin”. Tharkun e Mithrandir são outros nomes do mago branco nas línguas dos elfos e dos anões respectivamente: Outros magos criados por Toljien levam o nome de Radagast, Alatar, Pallando e, claro, Saruman.

Billy Jackson, filho do diretor Peter Jackson faz uma pequena aparição em “A Sociedade do Anel”. Segundo o diretor, seu filho já tinha cabelos naturais de hobbit, mas mesmo assim teve que usar peruca, como o restante do elenco.

Na festa muito esperada de Bilbo, no começo da trilogia dos anéis, Tolkien diz que compareceram 144 convidados do condado, porém no filme são cerca de 100 atores em cena.

“O Senhor dos Anéis” é a sexta maior franquia da história do cinema em termos de bilheteria, atrás apenas de Harry Potter, James Bond, Star Wars, Piratas do Caribe e Shrek.

Peter Jackson “não gosta de magia em filmes de fantasia” e tentou evita-la durante toda a trilogia.
Henry Mortensen, filho de Viggo (o Aragorn), foi chamado para investigar o que aconteceu com o mapa da Montanha Solitária de Thorin, no livro “O Hobbit“.

Hobbit Peter Jackson
A cena da Proudfoot na festa de Bilbo, é uma pequena homenagem à animação de 1978 dirigida por Ralph Bakshi.

As Edições Especiais totalizam 158 minutos a mais do que a versão lançada nos cinemas (718 minutos para 560 minutos).

Os retratos dos pais de Bilbo sobre alareira da toca do Hobbit, foram feitos por Peter Jackson e sua esposa Fran Walsh.

Peter Jackson comprou o cenário da entrada da casa de Bilbo e Frodo, para que um dia ele pudesse colocar ao lado de uma colina.

Além de interpretar Gollum, o ator Andy Serkins empresta a voz para o Nazgûl que chama por Frodo Bolseiro.

Na cena em que Frodo pula na balsa do Cais de Ferry Bucklebury, Elijah Wood foi quem realmente fez a cena, e não um dublê.

Na aparição relâmpago de Peter Jackson no primeiro filme das adaptações, o cineasta aparece comendo cenoura. Segundo ele, era para ele aparecer fumando, mas a tentativa lhe causou mal-estar. Para se auto ironizar, Jackson optou por uma saudável cenoura.

Saruman e seus Orcs arrancam milhares de árvores no filme. Segundo a produção, nenhuma árvore real foi derrubada para a trilogia.

A “miniatura” de Barad-Dûr produzida para o filme pela Weta, tinha cerca de 4 metros e meio de altura, já a “miniatura” de Orthanc ocupou um estacionamento de carros inteiro.

Em “Silmarilion”, Sauron tem um chefe ainda mais assustador, ainda mais poderoso chamado Morgoth.

Devido a dificuldade de forjar metais fundidos, na cena em que os Orcs trabalham derretendo os metais em Orthanc, foi preciso filmar trabalhadores fantasiados fazendo o trabalho real de fundição.

Na cena em que os “Cavaleiros Negros” perseguem Frodo e Arwen, a produção precisou ser interrompida devido a um alagamento em Queenstown (Nova Zelândia).

A frase de Boromir, “One does not simply walk into Mordor” se tornou um sucesso. Sean Bean recebeu a fala para decorar a famigerada citação na véspera da filmagem da cena, e a interpretou perfeitamente bem.

Os gritos dos “Espectros do Anel” são baseados em Fran Walsh gritando de dor de garganta.

Estima-se que a produção de “O Senhor dos Anéis” injetou mais de U$200 milhões na economia da Nova Zelândia. Inclusive foi criado um pequeno ministério para explorar o alto contingente que a trilogia de Tolkien trouxe ao país.

O condado dos Hobbits foi preparado um ano antes das primeiras filmagens para parecer real. O departamento de arte deixou a grama crescer para criar ovelhas de verdade no cenário, quer mais realismo?

Os Balrogs, tal como Gandalf, são Maiar, ou seja, um semi-deus criado pelos Valar (Silmarillion). A feroz criatura que aparece no filme é um Maiar corrompido por Melkor (Valar rebelde entre os criados por Illúvatar).

A cena em que Bilbo se transforma ao ver o Anel pendurado no pescoço do sobrinho Frodo, foi desenvolvido com o rosto do ator Ian Holm juntamente com um assustador boneco de borracha.

A casa de Galadriel foi a maior miniatura criada para a trilogia.

Embora Bilbo Bolseiro apareça na Vila dos Hobbits, o ator Ian Holm, nunca trabalhou no local, suas cenas foram todas feitas com a tela azul.

Os Portões de Moria foram contruídos ao lado de uma linha ferroviária.

Segundo Jackson, a espada de Gandalf não brilha nas Minas de Moria (tal como no livro) devido a um corte orçamental nos efeitos especiais.

O primeiro Orc que aparece em Moria na verdade é uma Orc fêmea, e não macho como todos imaginavam.

A princípio Peter Jackson queria contratar atores exclusivamente britânicos para os papéis dos hobbits. Como se viu, Billy Boyd e Dominic Monaghan foram os únicos. Entretanto Jackson encubiu a dupla inglesa de apresentar a cultura britânica dos pubs para os americanos Elijah Wood e Sean Astin.

Letrista da cantora Enya, Roma Ryan aprendeu élfico (idioma dos elfos criado por Tolkien) para composição de duas músicas para o filme.

As cenas em que a Irmandade sai de Moria incrédulos com a morte de Gandalf foi filmada muito antes do ator Ian Mc Kellen pisar pela primeira vez no set de filmagens, e mais uma vez a tela azul foi utilizada.

Lothlorien foi filmado em uma floresta chamada Paraíso. As árvores que compunham o cenário foram feitas de borracha.

Orlando Bloom conseguiu o papel de Légolas dois dias antes de se formar pela escola dramática de arte.

Sean Connery, em determinado momento, recebeu o convite para interpretar Gandalf, mas se recusou por “não ter entendido a história”.

A contagem de corpos em “A Sociedade do Anel“; 118

O coro cantado enquanto morre Boromirdiz, em élfico;

“Eu não amo a espada brilhante por sua agudeza, nem a flecha por sua rapidez, eu amo somente aquilo que elas defendem.”

Aragorn usa as luvas de Boromir no segundo e no terceiro filme em homenagem ao falecido amigo.

Viggo Mortensen quebrou o dedo do pé ao chutar um capacete no local do massacre de Uruk-hai, que em parte contribui para cena em que ele cai de joelhos, chorando.

Andy Serkins (Gollum) foi convencido por seu agente a trabalhar na Nova Zelândia por três semanas pensando que iria apenas fazer voice-over (narração) na adaptação cinematográfica da trilogia de Tolkien.
Tolkien Foto
Na cena em que Aragorn, Legolas e Gimli correm atrás dos Orcs em “As Duas Torres“, Viggo Mortensen, Orlando Bloom e o dublê Brett Beattie gravaram-na feridos.  Mortensen tinha o dedo quebrado, Bloom tinha duas costeladas quebradas, Breattie estava com o joelho lesionado. Peter Jackson elogiou a dedicação do trio, mas não deixou de ironizar o fato durante a filmagem da cena.

Em “As Duas Torres” Gollum repete a palavra “precioooso” quinze vezes.

Brad Dourif teve que raspar as sobrancelhas cinco vezes, durante dois anos de filmagens, para o papel de Wormtongue.

NerD FrienD’s

 

Tags , , , , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Os comentários estão desativados.