Mais da metade das escolas brasileiras de idiomas aceita professores sem qualificação, revela pesquisa

British Council e Goethe Institut apontam as qualificações recomendadas para um professor ensinar inglês e alemão no Brasil Sem dúvidas, todos têm um

British Council e Goethe Institut apontam as qualificações recomendadas para um professor ensinar inglês e alemão no Brasil

Sem dúvidas, todos têm um conhecido que fez anos de escola de idioma e não consegue, de jeito nenhum, se comunicar corretamente. Uma das possíveis respostas é a falta de qualificação dos professores. Se nós brasileiros temos aulas de português durante toda a vida e não podemos ensinar português em escolas, por que o contrário é tão comum no Brasil?

Segundo um levantamento realizado pelada plataforma de aprendizagem online Verbling, que consultou 106 escolas de idiomas ao redor do país. A consulta foi feita com escolas de médio e grande porte em todo o Brasil, o que revela a relevância dos dados ainda encontrados.

O levantamento também revela que menos de 10% das escolas não aceitariam um professor de língua nativa sem qualificações, enquanto 55% disseram que o aceitariam prontamente. As demais demandam algum tipo de entrevista pessoal antes da contratação.

Um outro estudo recente realizado pelo British Council também aponta que o ensino da língua inglesa é em geral deficitário no Brasil. “É difícil encontrar professores adequadamente qualificados. Por conta disso, o aprendizado de inglês no Brasil se resume às regras básicas de gramática, leitura de textos curtos, ou seja, o mínimo para que o aluno passe em um exame simples de admissão em uma universidade”, informa o relatório da pesquisa.

Verbling, que oferece cursos em 42 idiomas, recebe cerca de 100 pedidos de professores para lecionarem na plataforma. A seleção é muito rígida e apenas 30% dos candidatos se tornam de fato educadores.

Considerando a importância da qualificação profissional do docente de idiomas, a Verbling consultou dados do British Council e o Goethe Institut para saber o que, na visão deles, seria um professor qualificado para o ensino de idiomas. Com essas informações, a plataforma elaborou 5 perguntas e algumas dicas que os interessados em aprender uma língua estrangeira devem fazer antes de se matricular em uma escola:

5) Qual seu objetivo? Você quer passar em alguma prova específica? Deseja focar em um vocabulário mais corporativo ou vai fazer intercâmbio?

Importante: No caso da língua inglesa, existem muitas diferenças entre o britânico e americano por exemplo, e o espanhol também se altera dependendo da região. Procure professores que atendam seu objetivo.

4) Pergunte sobre a formação e a graduação dos professores, os certificados que possui e quantos anos tem de experiência.

3) Experimente! Pergunte se pode fazer uma aula teste e aproveite essa aula para conhecer o professor e ver se a dinâmica da aula te agrada. Isso influencia muito no interesse pela língua e influencia seu desenvolvimento.

2) Tempo é tudo, se você adorar uma escola, mas não conseguir ir nas aulas sua evolução será muito demorada. Procure cursos com horários flexíveis, até quem sabe, online, e reposições de aula para adaptar à sua rotina.

1)Procure referências. Se você sabe de alguém que já conhece a escola ou os professores, pergunte ou procure comentários em sites de reclamação.

Sobre a Verbling

A Verbling é uma plataforma online onde as pessoas que querem aprender um novo idioma têm aulas com professores profissionais. A missão da empresa é empoderar pessoas em todo o mundo e torná-las fluentes em uma língua estrangeira. Enquanto a equipe principal fica em São Francisco, professores e estudantes fazem a Verbling acontecer por seis continentes. Os principais investidores da plataforma incluem Bullpen Capital, Y Combinator, Ace & Company, Draper Fisher Jurvetson, Ernström Kapitalpartner, SV Angel, e Sam Altman of Hydrazine Capital.

 

Visite nossa loja

Visite nossa loja

Sigam-nos os bons